Pescaria de Traíra: As Lições de um Mestre - Missão Pesca
+55 (11) 99700-3474
Missão Pesca - Agência de Viagens | Eduardo Lacerda

BLOG

Pescaria de Traíra: As Lições de um Mestre

Pescaria de Traíra: As Lições de um Mestre

Traíra capturada com isca soft

O sucesso na pescaria de traíra depende muito do humor do peixe. Mas o que fazer em cada situação? Pra entender, o Blog Missão Pesca conversou com um dos melhores pescadores de traíra do Brasil, Kauan Pittella, de Jaguarão – RS. Ele faz parte do staff de três grandes marcas de Iscas Artificiais.  Tropical Frog, Deconto e Camalesma.

E de cara ele já passa algumas regras básicas pra gente saber que isca escolher.

Ele explica que o primeiro passo é ver se o peixe está mais tímido ou se está mais ativo.

Kauan Pittella

 

Isca para traíra manhosa

Pesca de Traíra quieta: Normalmente, em dias frios ele diminui a atividade. Neste caso temos que usar iscas com pouco som, sem vibração e de tamanho pequeno. O peixe pode se assustar se a isca “chegar chegando”. Ao invés de morder, o  peixe pode acabar fugindo da isca. Neste caso, o que a gente  precisa é do movimento da isca da maneira mais natural possível, em silêncio. Iscas pequenas representam peixes mais vulneráveis. Isso anima a traíra a fazer o ataque.

Sugestões de Isca:

Tropical Frog – Modelo T. Frog

Deconto Modelo – Acer Spinn

Camalesma Modelo – Bass Worm

Isca para pescaria de traíra ativa

Pesca de Traíra agitada: O peixe tá pilhado. Então, se a isca chamar a atenção ele tem mais chances de correr atrás. A regra é usar iscas com rattling (barulho). Também é preciso ter boa vibração. E iscas maiores representam uma recompensa nutricional interessante. Então, como ela está bem ativa, não vai se incomodar em gastar um pouco mais de energia para realizar a captura.  De maneira geral, é assim que elas vão se comportar nos dias mais quentes.

Sugestões de Isca:

Tropical Frog – Modelo Zaruto

Deconto – Modelo Popai

Camalesma Modelo – Bomber Swin Shad

Pescaria de Traíra em diferentes ambientes

E os tipos de ambiente também podem determinar a isca que você vai usar.

Lago 1 Este lago tem estruturas propícias para uso de frogs de borracha, com partes alagadas, banhados e raseiros propícios para esse estilo de isca.

Lago para pescaria de traira

Lago 2 Com menos estruturas, este lago é propício para o uso de qualquer isca artificial e em qualquer categoria! Nas partes mais fundas, usamos isca soft com montagem de fundo e spinnerbait. Na parte mais rasa, girinos e frogs.

lago para pescaria de traira

Lago 3  Este é o tipo de local que chamamos de “cola do lago”. Geralmente tem proteção do vento e estruturas ao fundo, onde a água aquece com mais rapidez e sempre rende uns bons exemplares nessa parte do lago.

Os finais de lagos, onde ele se estreita, muitas vezes apresentam ambientes muito bons para traíras. Nas viagens à Amazônia, organizadas pela Missão Pesca, é comum encontrarmos áreas tomadas por esses peixes. Quase todos os arremessos têm ataques, como neste vídeo que gravamos no Barco Hotel Princesa Kalyne, em Barcelos.

Traíra 60up

O recorde pessoal de Kauan é uma traíra de 64,5 cm. Ele diz que uma traíra 60up é realmente o sonho de qualquer pescador dessa espécie. Mas as traíras 50up são a virada de jogo. Nesse porte, o pescador já pode dizer que realmente conquistou um peixe grande. Mas atenção! Não estamos falando do trairão, que é uma espécie mais comum em rios e que atinge tamanhos gigantescos, podendo passar dos 15 quilos. A traíra que é a especialidade do Kauan é a Hoplias malabaricus, que pode estar presente em qualquer lagoa perto da sua casa.

pescaria de traíra

Traíra gosta de presa viva

Kauan Pittella explica que as traíras comem presas vivas e, por isso, se interessam por iscas artificiais que imitam peixes, anfíbios, insetos, minhocas e até aves e mamíferos. As traíras estão presentes no Brasil inteiro, em qualquer lagoa. Então, aí pertinho da sua casa, com certeza você pode tentar colocar em prática as técnicas que ele usa no Rio Grande do Sul.

pescaria de traíra

Visite o Perfil do Kauan Pittella

O mestre na pesca das traíras não esconde a alegria que tem em divulgar as novas técnicas que ele encontra em suas pesquisas.  Recentemente ele tem se dedicado a fazer posts no Instagram mostrando de forma simples e direta as técnicas que ele utiliza. É um perfil que vale a pena ser visitado. Anote aí @kauanpittella.

Técnicas de Black Bass na Pescaria de Traíra

E onde o mestre aprende? Kauan não inventa nada! Ele experimenta muitas novidades antes da maioria dos pescadores.

Uma das maneiras de aprender novas técnicas para a pescaria de traíra é olhar com atenção as novidades da pesca americana de Black Bass, mais conhecido nos Estados Unidos como Largemouth bass.

Kauan explica que uma das iscas mais eficientes para a traíra, o sapinho, surgiu do bass. O spinner, que é mais recente, também veio dessa pescaria e se mostrou muito eficiente. E as iscas soft, como shads ou minhocas, também surgiram de lá.

Lições Internacionais

“Não domino a língua inglesa, mas aprendo muito assistindo vídeos americanos de bass”, explica Kauan. “Só olhando, você entende as iscas e os trabalhos. Aprendo muito acompanhando o campeonato Bass Master, que é transmitido via Youtube, e tem também site o www.bassmaster.com . Ele está todo em inglês, mas se você quiser se aventurar por lá, com certeza, vai encontrar coisas boas.”

Lâminas na Pescaria de Traíra

Em suas pesquisas, Kauan descobriu detalhes que fazem toda a diferença. Por exemplo, você sabia que nas iscas com lâminas (blades), cada tipo tem uma função diferente?

Kauan explica que as lâminas mais alongadas e pontiagudas são boas para gerar reflexos e brilho. Elas vão muito bem em águas limpas e em dias ensolarados. Já as lâminas mais curtas e arredondas geram boa vibração na água. Elas são melhores para dias de pouca luz ou em águas com menor visibilidade.

pescaria de traíra

Contato intenso com a pesca

Kauan está em contato com a pesca praticamente todo o tempo.  Essa é a primeira lição que temos quando conversamos com ele. Se não está pescando, ele está estudando e vendo vídeos sobre o assunto.

Ele não pesca todos os dias. Normalmente, três dias por semana, sempre durante a tarde. Ele mora numa região abençoada para a pescaria de traíra, no município de Jaguarão – RS.  Nessa região existem muitos lagos naturais e pequenas represas com abundância de alimentação para as traíras.

Alguns lagos ficam a apenas vinte minutas da casa do Kauan. E aí fica fácil colocar todas as técnicas em prática.

Fotos Reveladoras

E olha que curioso! As próprias postagens na internet estimulam Kauan a aprender. Ele é formado em fotografia. E sempre quer fotos com iscas diferentes. Por isso, experimenta novidades sem moderação. E observe, as fotos que ele posta sempre mostram a isca.

pescaria de traíra

Diferentes iscas para pescaria de traíras

No dia de nossa conversa, ele se preparava para utilizar iscas de marcas genéricas com diferentes tipos de vibração. Uma com palhetas laterais, que fazem a isca nadar de maneira irregular na superfície, outra bem pequena com meia hélice na traseira e um plug articulado com uma lâmina arredondada depois da cauda, para vibração mais forte.

iscas para traíra

Conhecimento sobre iscas para traíras

As experiências são importantes. Compreendendo cada novidade, mesmo que pareça algo muito extravagante ou sem sentido, ele vai criando uma visão muito apurada sobre o que pode funcionar.

Isso ajuda a avaliar e opinar sobre iscas das marcas que ele participa como staff.

Kauan inclusive já ajudou a projetar uma das iscas da Tropical Frog, a Baby Frog Evolution: um sapinho de borracha macia e resistente, com cerdas na traseira.  Esse tipo de cerda cria um movimento interessante para o predador.

Inclusive, é importante observar que não há conflito na participação de Kauan em diferentes marcas de isca. O motivo é que cada uma delas trabalha com produtos muito diferentes. A Tropical Frog desenvolve os sapinhos. A Deconto se dedica aos plugs de corpo rígido e iscas de metal. E a Camalesma é referência em iscas soft.

Todas se complementam em sua caixa de iscas e formam um arsenal perfeito para a busca das traíras.

traíra

Liberdade nas iscas para pescaria de traíras

Kauan diz que, de maneira geral, a isca tem que imitar a realidade.  A traíra costuma  atacar algo que pareça da cadeia alimentar. Mas não é sempre assim. O peixe pode atacar a isca desde que ela cumpra funções básicas, que são movimento, vibração, cor, brilho ou som.  E a partir do momento que você começa a entender o peixe, você pode experimentar com sucesso mesmo as iscas que não tenham aparência de uma presa da cadeia alimentar.

pesca de traíra

Uma boa pesca perto de você

A traíra é um dos peixes mais populares do Brasil. E quem gosta de iscas artificiais só tem a ganhar ao estudar técnicas para a pescaria de traíra. Elas, com certeza, estão em uma lagoa bem perto da sua casa. E as suas varas e iscas que só entravam em ação quando você tinha a oportunidade de viajar, agora  poderão trazer emoção a qualquer momento.

Eduardo Lacerda

 

Fotos: Kauan Pittella

Compartilhe esse artigo

Endereço

Av. Benedicto C. Andrade, 1007 - BL 15, AP 122 - Jundiaí - SP, 13212-070

Telefone

+55 (11) 99700-3474